Posts com a Tag ‘rio+20’

Cúpula dos Povos em defesa da Agroecologia

25 de junho de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

Terminou na semana passada, no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, a Cúpula dos Povos na Rio+20 por Justiça Social e Ambiental. Foram nove dias de debates com o objetivo de denunciar as causas da crise socioambiental, apresentar propostas de soluções práticas e fortalecer movimentos sociais do Brasil e do mundo.

As organizações que compõem a Campanha Por um Brasil Ecológico, Livre de Transgênicos & Agrotóxicos participaram de diversas atividades na Cúpula e contribuíram para a construção das propostas que compõem os seus documentos finais.

Com relação ao tema central da Campanha, tiveram destaque entre as causas estruturais da crise socioambiental e as falsas soluções propostas para o seu enfrentamento as seguintes constatações:


– Das 33 plantas transgênicas liberadas até hoje no Brasil, 24 foram desenvolvidas para tolerar a aplicação de agrotóxicos. Assim, os transgênicos são também responsáveis pelo fato de o Brasil ser hoje o campeão mundial no uso de venenos agrícolas;

– Os transgênicos não promovem o combate à fome, mas sim a concentração da cadeia produtiva. Assim como os outros cultivos já liberados, o feijão transgênico, bem como a soja e o milho tolerantes à aplicação do herbicida 2,4-D, constituem falsas soluções para a agricultura e a segurança alimentar.

– A falha no cumprimento das metas das convenções ambientais tem estrita relação com a ausência de mecanismos internacionais vinculantes de responsabilidade e reparação por danos;

– A suposta análise de biossegurança feita pela CTNBio não respeita a legislação nacional de biossegurança;

– Os estudos que embasam os pedidos de liberação comercial de transgênicos e, consequentemente, a avaliação de risco da CTNBio, são feitos pelas próprias empresas de biotecnologia – ou seja, não há isenção nesta análise de risco.

Diversas propostas relacionadas aos transgênicos e aos agrotóxicos foram aprovadas na Plenária 3 da Cúpula, que debateu a questão da Soberania Alimentar. Entre elas, destacam-se:

– A agroecologia é o nosso projeto político para a transformação dos sistemas de produção de alimentos. É importante que sigamos fortalecendo as alianças entre as organizações do campo e da cidade, em especial promovendo a agricultura urbana e periurbana;
– A recuperação e valorização da cultura alimentar tradicional baseada em produtos naturais que sejam saudáveis é um imperativo para a construção de uma sociedade sustentável;

– Lutamos para que as políticas e leis protejam, preservem e recuperem as sementes crioulas e nativas. Também buscamos que se estimulem as práticas tradicionais de troca, seleção e venda realizadas pelos agricultores familiares, povos indígenas e tradicionais;

– Exigimos que TODAS as compras públicas de alimentos provenham de fontes agroecológicas e que sejam retirados TODOSos subsídios para os fertilizantes químicos e os agrotóxicos;

– Os mecanismos governamentais de compra e distribuição de sementes DEVEM respeitar as formas tradicionais de organização local da agricultura familiar camponesa, indígena e de povos tradicionais. Deve-se estimular a conservação e o armazenamento de sementes através das “casas de sementes”;

– Demandamos que a FAO e os governos em todos os níveis apoiem os sistemas de produção agroecológica;

– Exigimos que todos os países ratifiquem o Protocolo de Nagoya – Kuala Lumpur, Suplementar ao Protocolo de Cartagena, que diz que as empresas que produzem transgênicos devem ser responsabilizadas criminal e financeiramente por seu impacto sobre a saúde e o meio ambiente;

– Chamamos as Nações Unidas para que estabeleçam um mecanismo de avaliação e realizem um processo de avaliação de riscos das novas tecnologias como a nanotecnologia, a geoengenharia e a biologia sintética. E EXIGIMOS que até a sua conclusão se declare uma moratória às mesmas. A sociedade civil não deve confiar plenamente na ONU e DEVE conduzir uma investigação independente paralela sobre as consequências dessas tecnologias;

– Exigimos a proibição total dos transgênicos e uma condenação especial às sementes Terminator; neste caminho, EXIGIMOS uma moratória à liberação do milho e da soja resistentes ao agrotóxico 2,4-D;

– Lutamos pela criação de territórios livres de transgênicos, em especial nos lugares de origem das culturas agrícolas, até que consigamos um planeta livre de transgênicos;

– Para o Brasil, exigimos uma moratória do milho transgênico MON810 e a democratização da CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança); por meio do equilíbrio de sua composição, da transmissão ao vivo de suas seções e da inclusão dos impactos sociais e ambientais em suas avaliações de risco.


A íntegra das propostas aprovadas nas cinco plenárias de convergência da Cúpula dos Povos, que foram apresentadas na Assembleia dos Povos realizada na tarde de 21 de junho, está disponível na página eletrônica da Cúpula.

+ Via AS-PTA

Agroecologia Política na Rio+20

20 de junho de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

A ONG Agricultura Familiar e Agroecologia (AS-PTA) lançou uma edição especial do seu boletim, Agroecologias, com o tema “Agroecologia Política na Rio+20”. A publicação traz artigos, entrevistas e reportagens, abordando temas como segurança alimentar, mudanças climáticas e agricultura sustentável.

+ Visite o site da AS-PTA e faça o download da revista Agriculturas

Alimentação orgânica na Rio+20

20 de junho de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

O portal Fator Brasil fez um post bem bacana sobre opções saudáveis de alimentação no Riocentro durante a Rio+20. O ator e produtor, Marcos Palmeira, sócio da Fazenda Vale das Palmeiras, em Teresópolis, é um dos principais produtores de orgânicos do estado do Rio e para a conferência, fez uma parceria com o restaurante Vila Paulistana, fornecendo itens de hortifruti como tomate, rúcula, alface, batata… e também café 100% arábico, orgânico e biodinâmico, lançado na Rio+20.

Na praça de alimentação do encontro, 50% dos restaurantes e lanchonetes têm produtos naturais ou orgânicos e os outros são multimarcas nacionais. É possível encontrar até chopp e vinho artesanais orgânicos, além de sucos e carnes. Além dos restaurantes, na praça de alimentação pode-se encontrar também artesanato feito com materiais reciclados, estações de reciclagem e outros atrativos.

+ Via Blog Estágio Sítio dos Herdeiros

Eventos sobre agricultura na Rio+20

15 de junho de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

A Rede Jovem Rural selecionou os principais eventos que acontecerão na Rio+20 com temas ligados à agricultura familiar, agroecologia, segurança alimentar e desenvolvimento rural sustentável. Confira:

15/06 – sexta

Best practices and technology opportunities for farmers in South America
Local: Riocentro – Room T5
Horário: 11h30 – 13h

16/06 – sábado

Feeding the World: Sustainable Agriculture & Innovation
Local: Riocentro – Room T4
Horário: 11h30 – 13h

– Organic farming contributing to community revitalization, sustainable development and green economy: Cases in Fukushima
Local: Parque dos Atletas, Pavilhão do Japão
Horário: 10h30 – 12h

17/06 – domingo

Technology and Knowledge Sharing for Sustainable Agriculture
Local: Windsor Barra Hotel & Congresses
Horário: 11h – 12h30

18/06 – segunda

Agriculture & Rural Development Day
Local: SulAmérica Convention Center
Horário: 9h – 18h

19/06 – terça

“Sustainable Intensification” and Agroecology: Which approaches work for the right to food, climate, and sustainable development?
Local: Riocentro – Room T8
Horário: 09h30 – 11h

Food Security Day: Aiming for a food secure future: Think Global, Act Local
Local: Sheraton Rio Hotel and Resort
Horário: 09h – 19h

– International Conference “Poverty Eradication and the Environment”
Local: Auditório Tom Jobim – Jardim Botânico
Horário: 09h – 18h

Biotechnology and Sustainable Agriculture and Food Security
Local: Riocentro – Room T9
Horário: 19h30 – 21h

21/06 – quinta

Green Economy and Agriculture: Tools for policy makers to account for
Local: Riocentro – Room T6
Horário: 11h – 12h30

Green economy and agriculture: tools to fight against climate change
Local: Riocentro – Room T6
Horário: 11h30 – 12h30

22/06 – sexta

Education for a Sustainable Development (ESD)
Local: Espaço Píer Mauá, Auditorium 1 – Armazém 1
Horário: 11h30 – 12h30

+ Foto por Tiago Brandão

IICA pede mais atenção à agricultura na Rio+20

15 de junho de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

O IICA lançou, no último dia 11, a nota técnica Como se relaciona a agricultura com a Rio+20? com o objetivo de destacar o papel essencial da agricultura para o desenvolvimento sustentável e chamar a atenção para a importância da discussão do tema na conferência. De acordo com o Instituto, o tema agricultura não figura explicitamente na agenda do evento internacional apesar da sua relação fundamental com o uso dos recursos naturais edo desenvolvimento econômico e social dos países.

No documento, o IICA afirma considerar a Rio+20 uma oportunidade para analisar o papel atual do setor agropecuário e para conseguir que as futuras orientações do setor contribuam para o desenvolvimento sustentável mundial.

Ainda na nota técnica, o Instituto mostra como a agricultura pode contribuir com o desenvolvimento sustentável das economias nacionais a partir da apresentação de três eixos: Agricultura Sustentável, Recursos Naturais e Economia Verde; Agricultura e Mudanças Climáticas; e Segurança Alimentar e Agricultura Familiar.

+ Faça o download do documento

Agricultura Familiar e a Rio+20

14 de junho de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

Nos próximos dias, todas as atenções estarão voltadas à cidade do Rio de Janeiro, palco da Rio+20 – Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. O encontro marca os 20 anos de realização da Rio-92 e deverá contribuir para definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas.

Diplomatas e chefes de estado do mundo todo estarão reunidos para negociar um acordo que orientará a forma como o mundo vai se desenvolver nas próximas décadas. Este documento poderá incluir um conjunto de objetivos de desenvolvimento sustentável para os países, garantindo uma vida digna aos habitantes do planeta sem comprometer o futuro das próximas gerações.

A Rio+20 será composta por três momentos: de 13 a 15 de junho, está prevista a III Reunião do Comitê Preparatório, no qual se reunirão representantes governamentais para negociações dos documentos a serem adotados na Conferência. Em seguida, entre 16 e 19 de junho, serão programados os Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável. De 20 a 22 de junho, ocorrerá o Segmento de Alto Nível, para o qual é esperada a presença de diversos Chefes de Estado e Governo dos países-membros da ONU.

A equipe da Rede Jovem Rural estará presente em diversos eventos oficiais e paralelos ao encontro, divulgando os resultados de debates e reportando as novidades sobre os eventos que estão ligados às temáticas que dizem respeito ao trabalho da Rede: juventude rural, agricultura familiar, desenvolvimento sustentável dos territórios rurais, agroecologia, segurança alimentar, entre outros.

Acompanhe a Rede Jovem Rural aqui no blog, Flickr, YouTube e Twitter.

4º Dia da Agricultura e Desenvolvimento Rural

14 de junho de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

Como parte integrante do calendário de eventos paralelos ao Rio+20, o Rio de Janeiro receberá no dia 18 de junho o 4º Dia da Agricultura e Desenvolvimento Rural, evento que tem como objetivo garantir que dentro do conceito de “economia verde” estejam incluídas ações concretas na construção de um modelo sustentável de produção de alimentos.

A Rede Jovem Rural fará a cobertura do evento ao vivo pelo Twitter.

Patrocinado e organizado por mais de 15 instituições ligadas ao tema, o encontro contará com palestrantes, um painel de discussão e 10 eventos participativos de aprendizagem que vão explorar casos de sucesso na área de produção sustentável de alimentos. Na parte da tarde, os participantes assistirão a apresentação de “inovações científicas para um futuro de segurança alimentar”.

O encontro terá a participação de ministros como Mendes Ribeiro Filho (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Izabella Vieira Teixeira (Meio Ambiente) e Marcelo Crivella (Pesca e Aquicultura), além de representantes de organismos internacionais como Rachel Kyte, vice presidente de Desenvolvimento Sustentável do Banco Mundial, e Kanayo Nwanze, presidente do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (IFAD). O eventos de aprendizagem contarão também com uma extensa lista de nomes importantes participando das discussões.

Visite o site do 4º Dia da Agricultura e Desenvolvimento Rural (em inglês) e saiba mais sobre o evento e a programação

Veja também:
Siga o 4º Dia da Agricultura e Desenvolvimento Rural no Twitter
– Acompanhe a cobertura com a hashtag #rio4ag
Participe da fanpage do evento no Facebook

Vandana Shiva e a Rio+20 [vídeo]

11 de junho de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

A física ativista ambiental indiana, Vandana Shiva, diz que o futuro da vida e da liberdade estão ameaçados. Para ela, a dicotomia do bem e o mal hoje é a batalha entre defender a vida e destruir a vida. Shiva éla é diretora da Research Foundation for Science, Technology, and Ecology, em Nova Déli e também autora de inúmeros livros, entre os quais “A Violência da Revolução Verde” (1992), “Biopirataria: a pilhagem da natureza e do conhecimento” (Vozes, 2001), “Monoculturas da mente (Global, 2004)”, entre outros.

Shiva é figura de destaque no movimento anti-globalização e consultora para questões ambientais da Third World Network. Entre suas atividades mais recentes, incluem-se iniciativas de ampla divulgação para a preservação das florestas da Índia, luta em favor das sementes como patrimônio da humanidade e programas sobre biodiversidade, além de pesquisas voltadas ao desenvolvimento de uma nova estrutura legal para os direitos de propriedade coletivos, como alternativa aos sistemas de direitos de propriedade intelectual.

A questão agrícola na Rio+20

5 de junho de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

Em recente artigo publicado no jornal Le Monde Diplomatique, Jean Marc von der Weid, coordenador do Programa de Políticas Públicas da AS-PTA Agroecologia e Agricultura Familiar, fala sobre a falta de espaço para o debate acerca da questão agrícola na programação doa Rio+20.

“O documento base da Rio+20, produzido pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP), não dá à agricultura o lugar central que deveria ocupar no debate, além de abster-se de constatar os problemas os problemas provocados pelo modelo de desenvolvimento agrícola dominante no mundo, conhecido como agricultura industrial.”

+ Visite o site da ANA e confira o artigo na íntegra

Produtores estarão conectados em tempo real na Rio+20

29 de maio de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

Pequenos produtores rurais do estado do Rio estarão conectados à Rio+20 em tempo real. A partir da conferência, em junho, pelo menos 17 câmeras em três localidades vão mostrar o cotidiano do campo. Além de ensinar às crianças que “leite não nasce em caixa”, por exemplo, o sistema alimentará com imagens técnicos e ambientalistas.

A transmissão de imagens faz parte de um programa mais amplo, o programa Rio Rural no qual Banco Mundial e estado investirão US$ 300 milhões até 2018 em 200 localidades. Com o aparato de telecomunicações, será possível enviar os dados meteorológicos colhidos nas 30 estações que já estão em funcionamento. A promessa é criar novas unidades climáticas em todas as comunidades rurais beneficiadas pelo projeto.

Antenas amplificadoras de sinal de celular aumentarão a cobertura tanto para conversas telefônicas como para acesso à internet. A tecnologia permitirá melhorias na transmissão de alertas de emergência, como os avisos de perigo de deslizamento de encostas.

A primeira localidade que deverá receber câmeras deverá ser a que fica próxima ao Rio Bengalas, em Teresópolis. O agricultor que receberá os equipamentos sofreu muitas perdas durante as chuvas de janeiro de 2011. No local, serão monitorados dois projetos: a recuperação da vegetação da margem do rio e o plantio em curva de nível, que reduz a erosão do solo. As câmeras são móveis e poderão ser deslocadas para cobrir diferentes áreas.

Outra ferramenta tecnológica do Rio Rural que promete melhorar a produção e preservar o meio ambiente é o simulador. A engenhoca, que faz lembrar um videogame, é capaz de rodar modelos matemáticos com os quais especialistas calculam os impactos de diferentes técnicas agrícolas em determinados solos.

+ Com informações do jornal O Globo.