Posts com a Tag ‘boas práticas’

Invenções da agricultura familiar [vídeo]

4 de junho de 2014 | Publicado em Ligado na Rede

Quem trabalha no campo não exerce apenas uma função. Cuida da lavoura, dos animais, da horta, da casa e do galpão. E até inventar, se for preciso, inventa. É o caso de um produtor de São Lourenço Sul (RS), que criou uma máquina agrícola para melhorar o rendimento do seu trabalho. Ficou curioso? Confira o vídeo!

Você conhece o Mesa Brasil?

28 de novembro de 2013 | Publicado em Ligado na Rede

O Mesa Brasil, capitaneado pelo Sesc, é uma rede nacional de bancos de alimentos contra a fome e o desperdício. Seu objetivo é contribuir para a promoção da cidadania e a melhoria da qualidade de vida de pessoas em situação de pobreza, em uma perspectiva de inclusão social.

O programa tem foco na questão da segurança alimentar e nutricional, e baseia-se em ações educativas e de distribuição de alimentos excedentes ou fora dos padrões de comercialização, mas que ainda podem ser consumidos.

O Mesa Brasil Sesc busca, dessa forma, contribuir para a diminuição do desperdício e redução da condição de insegurança alimentar de crianças, jovens, adultos e idosos. Em ambos os polos desse percurso, as estratégias de mobilização e as ações educativas incentivam a solidariedade e o desenvolvimento comunitário.

+ Saiba mais sobre o Mesa Brasil.

Colmeias modernas

17 de maio de 2013 | Publicado em Ligado na Rede

Mundo afora, produtores de mel e derivados utilizam caixas de madeira que pouco variam em seu formato. As abelhas, por sua vez, são conhecidas por construir verdadeiras maravilhas arquitetônicas, usando hexágonos para construir favos de mel com a quantidade máxima de espaço utilizando uma quantidade mínima de material. O site Modern Farm selecionou cinco projetos de colméias dignas de prêmios de design inovador:

+ Com informações do site Modern Farmer

Recarga de cisternas-calçadão garante a produção durante a seca

28 de janeiro de 2013 | Publicado em Ligado na Rede


Gerusa da Silva Marques afirma que, com a recarga, a produção da família está garantida

Diante da seca mais severa dos últimos 30 anos, as famílias agricultoras do Território da Borborema, na Paraíba, seguem desafiadas a implementar novas estratégias de convivência com a longa estiagem. A recarga de cisternas é uma delas. Com a ajuda de uma unidade itinerante de bombeamento, a pouca água dos pequenos reservatórios existentes na propriedade, que ficam sujeitas as perdas por evaporação e infiltração, é bombeada para a cisterna, garantindo a segurança hídrica das famílias.

A agricultora Gerusa da Silva Marques, do sítio Cachoeira de Pedra D’água, em Massaranduba, planta feijão, fava, milho, hortaliças e frutíferas, e ainda cria animais de médio e pequeno porte como galinhas, cabras e porcos. Ela fez a recarga da sua cisterna-calçadão de 52 mil litros pela segunda vez e afirma que com esse gesto a produção da família está garantida: “a recarga veio em uma hora difícil pra mim, pois nos períodos de seca a produção na horta não acontece como devia, mas de tudo a gente tem um pouco aqui, se não tem as hortaliças, já tem uma galinha, um bode, quando falta um, tem o outro, quem vive da agricultura é assim”, conta. Gerusa afirma que com a cisterna sempre cheia, consegue atravessar a ausência de chuva, sem parar de produzir e com isso, permanece levando produtos à feira agroecológica de Massaranduba.

De acordo com Maria Leônia Soares, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Massaranduba e membro da Coordenação do Polo da Borborema, o trabalho de recarga de cisternas começou no início de 2012. Segundo ela, esta é uma iniciativa que apoia e incentiva uma estratégia que já era implementada pelos agricultores e agricultoras da região: “Nós temos uma realidade de pequenas propriedades, por isso procuramos valorizar a produção no arredor de casa e a recarga garante que a produção neste espaço, importantíssimo para a alimentação e geração de renda da família, não pare mesmo durante a seca”, explicou a liderança.

Essa iniciativa, inicialmente desenvolvida pelas famílias agricultoras do Cariri assessoradas pelo Patac, foi apoiada na região do Polo da Borborema, Manos Unidas e Projeto Terra Forte, da AS-PTA, que tem o objetivo de contribuir para a reversão e prevenção dos processos geradores da desertificação e do empobrecimento da população no semiárido brasileiro. “A ação conta com quatro motobombas itinerantes, que vão passando pelos 15 municípios do região do Polo e já atenderam cerca de 50 famílias”, explica Cleibson Santos, técnico da AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia que assessora os agricultores do Polo da Borborema neste processo.

+ Post originalmente publicado no site da AS-PTA.

4º Dia da Agricultura e Desenvolvimento Rural

14 de junho de 2012 | Publicado em Ligado na Rede

Como parte integrante do calendário de eventos paralelos ao Rio+20, o Rio de Janeiro receberá no dia 18 de junho o 4º Dia da Agricultura e Desenvolvimento Rural, evento que tem como objetivo garantir que dentro do conceito de “economia verde” estejam incluídas ações concretas na construção de um modelo sustentável de produção de alimentos.

A Rede Jovem Rural fará a cobertura do evento ao vivo pelo Twitter.

Patrocinado e organizado por mais de 15 instituições ligadas ao tema, o encontro contará com palestrantes, um painel de discussão e 10 eventos participativos de aprendizagem que vão explorar casos de sucesso na área de produção sustentável de alimentos. Na parte da tarde, os participantes assistirão a apresentação de “inovações científicas para um futuro de segurança alimentar”.

O encontro terá a participação de ministros como Mendes Ribeiro Filho (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Izabella Vieira Teixeira (Meio Ambiente) e Marcelo Crivella (Pesca e Aquicultura), além de representantes de organismos internacionais como Rachel Kyte, vice presidente de Desenvolvimento Sustentável do Banco Mundial, e Kanayo Nwanze, presidente do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (IFAD). O eventos de aprendizagem contarão também com uma extensa lista de nomes importantes participando das discussões.

Visite o site do 4º Dia da Agricultura e Desenvolvimento Rural (em inglês) e saiba mais sobre o evento e a programação

Veja também:
Siga o 4º Dia da Agricultura e Desenvolvimento Rural no Twitter
– Acompanhe a cobertura com a hashtag #rio4ag
Participe da fanpage do evento no Facebook

Diversificação no Baixo Sul da Bahia [Conexões Rurais]

9 de março de 2012 | Publicado em Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira

Com 22 anos, Necildo Silva dos Santos vive com os pais e dois irmãos no Baixo Sul da Bahia, região que, apesar de ser uma das mais pobres do estado, é a maior na produção de cacau do país. Até 2008, a propriedade da família, com 20 hectares, era apenas mais uma no município de Presidente Tancredo Neves, prevalecendo a monocultura.

Nesse mesmo ano, o jovem ingressou na Casa Familiar Rural do município, que recebe apoio da Fundação Odebrecht. Com os novos aprendizados, ele percebeu as potencialidades de sua terra e comandou o processo de diversificação da propriedade.

Com foco na fruticultura, Necildo conseguiu um financiamento e viabilizou a plantação de 240 pés de banana. Em seguida, com recursos próprios e novos créditos, ele introduziu o maracujá e pés de seringueira. Hoje, a família é referência para as unidades produtivas vizinhas.

“Procuramos estimular a participação do jovem como sujeito ativo, agente multiplicador e promotor de ações sociais”.

Maurício Medeiros, atual presidente executivo da Fundação Odebrecht.

+ Quer saber mais sobre esta boa prática? Faça o download da revista Conexões Rurais!

Conexões Rurais: Conheça as Boas Práticas!

8 de março de 2012 | Publicado em Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira

A revista Conexões Rurais, lançada pelo Instituto Souza Cruz no ano passado, apresenta as 10 boas práticas identificadas pelas organizações que receberam jovens no III Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira, em 2010.

Ao longo de seis meses da ação, os participantes conheceram experiências como sistemas agroflorestais, turismo rural e agroindústrias familiares, que se tornaram referências nos territórios percorridos e, agora estão reunidas na publicação.

Para divulgar também estas boas práticas, a Rede Jovem Rural lança a partir desta semana um compilado das experiências em versões editadas para o blog. Abrindo a série, apresentamos o Sistema Agroecológico no Sertão do Pajeú (PE).

Agroecologia no Sertão do Pajeú

É no território pernambucano Sertão do Pajeú, no município Afogados da Ingazeira, que vive a família Faustino. Antes de realizar a transição para o sistema agroecológico, a família cultivava, de forma convencional, utilizando agrotóxico nas culturas de milho, feijão, quiabo e pimentão, que eram comercializados por atravessadores.

A partir da assistência técnica do Serta, os Faustino iniciaram um processo de mudança que se estendeu para outras famílias.

Eles introduziram o conceito de permacultura e destinaram áreas para pequenas hortas e frutíferas, direcionadas para o consumo familiar. Com o tempo, os agroquímicos foram completamente substituídos por repelentes naturais e pelo esterco do gado, melhorando a qualidade do solo e ajudando na prevenção de pragas.

A transição também incrementou a renda da propriedade. A família, que antes dependia de atravessadores, passou a comercializar sua produção em feiras orgânicas e a destinar 10% ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Outros resultados positivos foram a segurança alimentar, a partir da diversificação das culturas, e a aquisição de novas terras.

“Ah, se no Brasil houvesse muitas outras experiências como essa no meio rural! Estaríamos todos fazendo a coisa certa. Ou seria a coisa Serta?”

Humberto Oliveira é ex-secretário executivo do Condraf, do MDA

+ Quer saber mais sobre esta boa prática? Faça o download da revista Conexões Rurais!

Boa Prática – Sistema de Esterco Seco

11 de agosto de 2010 | Publicado em Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira

E o Intercâmbio não pode parar! Hoje, os jovens João Vitor Marotto (Mepes) e Maria José Lima (PAER), visitaram a propriedade da família Paludo, na comunidade de Preferido Alto, em Iporã do Oeste (SC). A unidade é destaque na região, pois trabalha com um método inovador de aproveitamento do esterco líquido, proveniente da criação de suínos.

A região enfrenta sérios problemas ambientais, diretamente ligados ao excesso de dejetos produzidos nas granjas e chiqueiros. Pensando em melhorar a qualidade de vida e obter uma fonte alternativa de renda, o jovem Vagner Paludo e seus familiares instalaram na propriedade um sistema de esterco seco.

Esta tecnologia permite que todo o material produzido nos chiqueiros seja transformado em adudo seco, muito mais rico em nutrientes e de fácil escoamento e comercialização. “Tive acesso a este sistema através de uma visita técnica no município de Concórdia. Estamos desenvolvendo o mesmo modelo na minha unidade há dois anos e os resultados estão sendo colhidos agora, através das vendas e da aprovação dos consumidores”.

“A família é muito dedicada ao sistema e eles são pioneiros na região. Houve muito investimento, sem depender de parcerias, e eles, por conta própria, estão tendo muito sucesso com a iniciativa”, destaca João Vitor.

“Achei tudo muito interessante a solução que eles buscaram para solucionar um problema que atinge toda a região. É uma experiência que está dando certo e merece ser replicada para outros territórios”, finaliza Maria José.