Arquivo da Categoria ‘Ligado na Rede’

Identidades Rurais aporta no MAR

23 de maio de 2016 | Publicado em Ligado na Rede

id_rurais_blog

Imagine cinco jovens fotógrafos da cidade grande, descobrindo e vivenciando o meio rural… O resultado dessa jornada está no livro Identidades Rurais, realizado com patrocínio da Souza Cruz, por meio da Lei Rouanet, pelo Instituto Souza Cruz e Ímã Produções e Promoções Artísticas. A publicação será lançada no dia 2 de junho, no Museu de Arte do Rio (MAR), com uma exposição de fotos.

+ A Rede Jovem Rural criou um álbum com algumas fotos do projeto. Confira!

Na busca dos elementos que compõem hoje o campo brasileiro, os profissionais AF Rodrigues, Fábio Teixeira, Fernanda Dias, Ratão Diniz e Valda Nogueira lançaram suas lentes para as comunidades do interior de nove estados, onde atuam as organizações que formam a Rede Jovem Rural, além de outras instituições que participam das nossas ações. Com o objetivo de registrar as paisagens, as pessoas e a rica cultura regional do país, cada um visitou duas localidades, permanecendo uma semana em cada uma delas. As imagens captadas revelam um meio rural que, muitas vezes, é invisível aos olhos de quem vive na cidade. A curadoria do livro ficou sob a coordenação do fotógrafo e cientista social Gustavo Stephan.

Refletindo a causa abraçada pelo Instituto Souza Cruz, o livro celebra os 15 anos da organização, que, ao longo de sua trajetória, vem investindo na agricultura familiar brasileira através da formação de jovens empreendedores rurais. Suas ações já beneficiaram cerca de 2,3 milhões de pessoas, contribuindo para o fortalecimento de produtores em todos os estados do país. Além disso, o Instituto já obteve o reconhecimento de importantes organismos internacionais, como a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU) e a Comissão Europeia.

. . .

SERVIÇO
Lançamento do livro Identidades Rurais
Data: 02 de junho
Horário: das 10h às 17h
Local: Museu de Arte do Rio (MAR) – Praça Mauá, 5 – Centro, Rio de Janeiro –RJ

Animação ensina agroecologia e alimentação de um jeito divertido

29 de abril de 2016 | Publicado em Ligado na Rede

A animação Comida que Alimenta é uma realização do Centro Sabiá, vinculado ao projeto “Trabalho, Renda e Sustentabilidade no Campo”, e busca fortalecer as experiências de agricultura agroflorestal de base agroecológica na Zona da Mata Sul de Pernambuco.

sabia

A vídeo traz, de maneira lúdica e criativa, um forte componente de agregação de valor à produção da agricultura familiar desse território, com a instalação de Unidades de Beneficiamento de frutas e de mel, para atender principalmente as compras do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), e o mercado turístico da região, fortalecendo também a estratégia de comercialização direta entre produtores e consumidores através de feiras agroecológicas.

. . .

Roteiro: Centro Sabiá
Direção e Animação 2D: Ianah Maia
Direção de Arte: Ianah Maia e Débora Cabral
Trilha Sonora: Filipe Barros e Rogério Samico
Desenho de Som e Mixagem: Rogério Samico
Vozes: Ianah Maia e Rogério Samico.

Junta Local: uma feira de pequenos empreendedores culinários

15 de abril de 2016 | Publicado em Ligado na Rede

junta local

Há pouco mais um ano, uma feira diferente vem ocupando diferentes espaços da cidade do Rio de Janeiro, colocando consumidores em contato direto com pequenos empreendedores. Esse é o objetivo da Junta Local: encurtar as distâncias entre quem come e quem produz.

Idealizada por Thiago Nasser, Henrique Moraes e Bruno Negrão, o projeto surgiu a partir das ideias e discussões do trio sobre alimentação de qualidade, criação de canais de comercialização e viabilização de pequenos empreendedores a novos mercados. A ideia da Junta é fomentar um espaço de socialização e reflexão sobre os nossas escolhas na hora de comer, com ênfase na formação de uma rede de produtores e consumidores engajada na valorização da comida local e justa.

junta local

Quem conhece a feira não sai de lá indiferente. A variedade de produtos seduz qualquer um. São geleias, hortifruti, embutidos, massas… tudo produzido por empreendedores locais ou, no máximo, vindos de Minas ou São Paulo. E o melhor: tem muita coisa diferente, que dificilmente se vê nas gôndolas dos supermercados, como pães de fermentação natural, hummus de feijão, kombuchás, queijos de leite cru, hambúrgueres vegetariano…

junta

A Junta Local, que começou pequenina no democrático espaço da Comuna, hoje segue um calendário regular ocupando diferentes espaços da cidade, como a Casa da Glória, Antiga Fábrica Behring, Imperator e o pátio do MAM. Além das feiras, também é possível comprar os alimentos através do site, na Sacola Virtual, com retirada marcada sempre aos sábados, em espaços como a já citadaComuna

Visite o site da Junta Local, conheça os produtores e saiba quando acontecerá as próximas feiras.

+ Fotos: Samuel Antonini – Facebook da Junta Local.

Cartilha ensina como fazer reformas e planejar casa de forma sustentável

8 de abril de 2016 | Publicado em Ligado na Rede

construao-525

O Conselho Internacional da Construção (CIB) aponta que o setor de construção é o que mais consome recursos naturais. Para minimizar os impactos ambientais surge então o conceito de construção sustentável, onde se busca técnicas que garantem maior eficiência e responsabilidade do início ao fim da obra.

“Construções e Reformas Particulares Sustentáveis” é uma publicação que faz parte da série Cadernos de Consumo Sustentável e foi lançado pelo Ministério do Meio Ambiente. O objetivo é orientar os consumidores sobre como fazer moradias e reformas sustentáveis.

+ Faça o download aqui.

Com apenas nove páginas, a cartilha mostra um mapa com cada cômodo da casa e aponta quais são as opções para a execução da obra dentro dos conceitos de sustentabilidade. A utilização de materiais de construção deve seguir o que for melhor para a saúde e o meio ambiente. No caso do uso de tintas, por exemplo, é preferível aquelas à base de água, pois evitam bactérias, fungos e algas em regiões úmidas. No uso de madeira, a dica é priorizar as certificadas, que garante que o produto não vem de área desmatada ilegalmente.

Além disso, a publicação frisa a utilização da iluminação e da ventilação naturais, o que diminui o consumo de energia elétrica. Para isso, na hora de construir, o morador precisa levar em conta o clima do lugar e a localização do terreno.

Nas áreas externas, a dica é utilizar reciclados da construção e pavimentação permeável. Segundo a cartilha, prefira o piso externo intertravado, feito de material prensado e que possui vida útil longa e baixo custo de manutenção.

Concurso quer premiar boas práticas na agricultura familiar

18 de março de 2016 | Publicado em Ligado na Rede

2caf

Agricultores familiares de países da América do Sul têm até o dia 31 de março para fazer a inscrição no II Concurso de Boas Práticas. O objetivo é premiar e divulgar experiências positivas que melhoraram a qualidade de vida dos produtores, da comunidade rural local e do meio ambiente. A iniciativa é da XXV Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar do Mercosul (Reaf) e do Programa Regional Fida Mercosul/Centro Latino-americano de Economia Humana (CLAEH).

Os critérios do concurso e o formulário de inscrição estão disponíveis no site do Programa Regional FIDA Mercosul.

Na ficha de inscrição eletrônica deverá ser feito um breve resumo do projeto. A partir daí, serão selecionadas as duas melhores experiências de cada categoria, que apresentarão seus projetos na próxima Reunião Especializada Sobre Agricultura Familiar do Mercosul (Reaf), no Uruguai. Não há taxa de inscrição.

Quem pode participar
Podem participar agricultores familiares dos países onde estão as regionais do programa, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai, Uruguai, Venezuela e Equador.

Projetos
Os projetos podem concorrer em apenas uma das quatro categorias previstas: Associativismo para Crescer; Juventude em Ação; Inovação Tecnológica/Tecnologias Apropriadas; e Perspectiva de Gênero. Serão dois prêmios para cada categoria, sendo que o primeiro lugar receberá US$ 2 mil e o segundo US$ 1 mil.

Também serão selecionadas entre todas as experiências inscritas, quatro que receberão distinção em uma das seguintes áreas: agroecologia; compras públicas; eficiência na luta contra a pobreza rural; e desenvolvimento comunitário. Para participar, o projeto não pode ter concorrido na primeira edição do concurso, deve existir pelo menos há seis meses e estar ainda em funcionamento na data da competição.

Os critérios que serão avaliados pelos jurados são os seguintes: Antecedentes e história do empreendimento; Qualidade em termos de boas práticas agrícolas; Marketing e comercialização; Inovação, criatividade e capacidade de ser replicado; Sustentabilidade ambiental e da experiência; Inserção e impacto na condição de vida das pessoas e no desenvolvimento local; Inclusão (gênero, idade, renda, condição física); Destaque e promoção de experiências relacionadas à agroecologia e a atividades relacionadas a compras públicas.

Com informações do site do MDA.

Fala, Jovem Rural!

1 de outubro de 2015 | Publicado em Ligado na Rede

jovem rural

Estamos realizando uma pesquisa de comportamento e a sua opinião é muito importante! Não se preocupe, ela é bem rapidinha e não precisaremos de dados pessoais.

+ Acesse o link e participe!

Projeto valoriza gastronomia do estado do Rio

20 de agosto de 2015 | Publicado em Ligado na Rede

riomaravilhas

A terceira edição do prêmio Maravilhas Gastronômicas do Estado do Rio de Janeiro (Maravilhas RJ) anuncia a lista de finalistas em 12 categorias. São 132 produtos participantes, representando mais de 50 municípios fluminenses, do interior à capital.

+ Confira a lista dos finalistas.

A partir do dia 17 de agosto, na próxima segunda-feira, começará a votação pela internet. Até 31 de outubro o público poderá contibuir para eleger suas Maravilhas Gastronômicas. A votação popular pela Internet terá peso 3 na apuração do resultado final.

Em 2015, a categoria com maior número de finalistas é a de Doces e Compotas, com 24 produtos, como goiabadas, bananadas, doce de jiló, geleias de diversos sabores e doces de leite. A seleção foi feita pela Comissão Organizadora, com indicação dos colaboradores/consultores e inscrição pela internet, conforme os critérios gerais e específicos do prêmio.

Além da votação popular, os produtos finalistas serão degustados pelos 81 consultores/colaboradores, divididos por categorias, de acordo com suas especialidades. Estes votos terão um peso maior (7) sobre a votação popular, com a finalidade de apurar os sabores que contribuem para formar a diversidade de culturas, modos de vida, saberes, a memória e a história do Estado do Rio de Janeiro. Afinal, o prêmio Maravilhas RJ está comprometido em valorizar a cultura do gosto regional.

+ Com informações do blog Caipirismo.

Morre Padre Humberto Pietrogrande aos 87 anos

7 de agosto de 2015 | Publicado em Ligado na Rede

padre humberto pietrogrande

Morreu na última quarta-feira, dia 5 de agosto, em Teresina (PI), o Padre Humberto Pietrogrande, em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Responsável pela chegada da Pedagogia da Alternância no país, o sacerdote italiano chegou ao Brasil ainda seminarista, na década de 1960, e, em menos de 10 anos, fundou o Movimento de Educação Promocional do Espírito Santo (Mepes), organização membro da Rede Jovem Rural.

Com o Mepes, implementou as primeiras Escolas Famílias Agrícolas do país e mudou a vida de milhares de jovens, educadores e agricultores que por lá passaram. Com o trabalho consolidado no Espírito Santo, padre Humberto foi para o Piauí e criou, há 25 anos, a Fundação Padre Antonio Dante Civiero (Funaci), beneficiando a região de Socopo, na periferia de Teresina, com a mesma proposta educativa iniciada no Espírito Santo.

+ Faça o download da Revista Marco Social 12 e confira a entrevista concedida à publicação em 2010 – a partir da páfina 64.

A equipe da Rede Jovem Rural, vem por meio dessa mensagem mostrar o nosso profundo sentimento com o falecimento do Padre Humberto. “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim ainda que morto viverá. E todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá”. (João 11:25-26).

Escolas familiares agrícolas estão entre melhores instituições privadas do país

6 de agosto de 2015 | Publicado em Ligado na Rede

alternancia03

No Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014, as escolas familiares agrícolas estão entre as melhores instituições privadas do país que atendem alunos de nível socioeconômico baixo ou muito baixo. Os dados do Enem por escola foram apresentados hoje (5) pelo Instituto de Pesquisas e Estudos Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Elas fazem parte do recorte do Inep de escolas privadas que atendem alunos de nível baixo ou muito baixo, ou seja, os mais vulneráveis socialmente.

O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, disse que foi uma surpresa para o Ministério da Educação (MEC) e o Inep o destaque dessas escolas no Enem. “Não sabíamos da grandeza do trabalho delas [das escolas familiares agrícolas] e é interessante quando uma pesquisa mostra algo inesperado, porque normalmente elas mostram confirmações do que já existe.”

alternancia02

Segundo Janine, o MEC vai agora dar mais visibilidade e ir atrás da experiência dessas escolas para “aprender com elas”. São instituições comunitárias geridas por associações de moradores e sindicatos rurais vinculados à comunidade. “Nesse sentido é a melhor escola privada do Brasil e merece nosso destaque”, ressaltou Janine.

O presidente do Inep, Chico Soares, destaca que as escolas avaliadas são muito heterogêneas entre si e que é possível a construção de muitos rankings. “Um único ranking produz um quadro distorcido da realidade”, disse ele, explicando que é preciso considerar o porte e a estratégia da escola de seleção de alunos e as características socioeconômicas dos estudantes.

O indicador de permanência na escola foi usado pela primeira vez nas avaliações do Enem por escola, além dos indicadores de nível socioeconômico e da formação docente. Os dados mostram que quanto mais alto o nível socioeconômico, melhores são as notas em todas as áreas de conhecimento avaliadas. Escolas com alunos de nível muito alto tiveram nota média de 611 pontos, enquanto as que atendem um nível muito baixo foi de 429 pontos.

alternancia01

As maiores médias foram apresentadas pelos estudantes cujos professores têm formação acadêmica específica nas disciplinas que lecionam. Aquelas que têm até 50% dos professores lecionando na sua área tiveram média de 478 pontos, enquanto as que têm mais de 50% dos professores formados nas disciplinas tiveram média de 512 pontos.

O Enem de 2014 foi feito por aproximadamente 6,2 milhões de estudantes em todo o país. Os que fazem parte do ranking divulgado nesta quarta-feira totalizam 1,3 milhão de estudantes, que fizeram as provas em 15.640 escolas. Os alunos fazem provas de redação, matemática, português, ciências humanas e ciências da natureza. Para a correção das provas, é usada a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Segundo o Inep, além de estimar as dificuldades dos itens e a proficiência dos participantes, essa metodologia permite que os itens de diferentes edições do exame sejam posicionados em uma mesma escala. Cada uma das quatro áreas do conhecimento avaliadas no Enem tem uma escala própria, e a redação é a única parte do exame em que os alunos têm de escrever.

O sistema de divulgação do Enem por escola está disponível no site do Inep.

Veja abaixo o ranking das dez melhores escolas privadas dentro dos critérios do Inep (escolas que atendem a alunos de nível baixo ou muito baixo):

– Escola Família Agrícola de Caculé, da Bahia
– Escola Família Agrícola da Região de Alagoinhas, da Bahia
– Escola Família Agrícola por Alternância Manoel Monteiro de Lago do Junco, do Maranhão
– Colégio Super, do Maranhão
– Escola Família Agroecológica de Aracuai, de Minas Gerais
– Escola Família Agrícola Puris de Araponga, de Minas Gerais
– Escola Família Agrícola José Nunes da Mata, da Bahia
– Casa Familiar Agroflorestal do Baixo Sul da Bahia, da Bahia
– Casa Familiar Rural de Igrapiuna, da Bahia
– Escola Familiar Dom Edilberto IV, do Piauí

+ Por Andreia Verdélio – Edição: Maria Claudia – Fonte: Agência Brasil
+ Imagens: Gustavo Stephan/Instituto Souza Cruz

Primeiro Fórum Pela Comida Boa e Local

16 de julho de 2015 | Publicado em Ligado na Rede

arca urbana
Karen Demavivas E Thiago Nasser, Idealizadores do evento

No dia 10 de julho, representantes da Rede Jovem Rural estiveram presentes no Primeiro Fórum Pela Comida Boa e Local, realizado pela empreendedora social Karen Demavivas, em parceria com a Arca Urbana e a Junta Local, no Rio de Janeiro. O evento teve o objetivo debater temas como segurança alimentar e novos canais comercialização, além de fomentar a criação de uma comunidade de pequenos produtores e negócios gastronômicos, com foco no fomento da produção e alimentação local.

Chefs, produtores e donos de negócios gastronômicos se reuniram para duas rodas de bate-papo e um brainstorming coletivo, tratando de temas como a busca por comida boa e local, orgânicos e, principalmente, conexões justas e colaborativas com produtores, e os principais desafios na relação com compradores e os desafios de produção, logística e negociação.

No primeiro debate com chefs e donos de estabelecimentos, participaram Bruno Negrão (Comuna), Carolina Figueiredo (Market), Isabella Cunha (Mais Asas), Nathalie Passos (Naturalie Bistrô) e Pedro Siqueira (Puro Restaurante). Já no segundo, com produtores, integraram a mesa Carlos Wagner (Manacá Orgânicos), Fabrício Siqueira (Cogumelos Umami), Fátima Anselmo (Orgânicos da Fátima), Pedro Butelli (Hocus Pocus) e Victor Piranda (Clube Orgânico).

Ao final do encontro, foi realizado uma conversa aberta com o público, a redação das conclusões (a serem publicadas em breve no site da Arca Urbana) e os preparativos para o próximo fórum.

+ Imagem: Folga na Direção