Arquivo da Categoria ‘Jornada Nacional do Jovem Rural’

A Melhor Jornada de Todas – Parte 5

5 de janeiro de 2016 | Publicado em Jornada Nacional do Jovem Rural

No quinto e último vídeo da série A Melhor Jornada de Todas, a Rede Jovem Rural passa a palavra para Uesdres Maia, da Escola da Floresta, no Acre. “A identidade cultural do nosso país está basicamente enraizada no campo, mas se as pessoas estão indo para as cidades, essa identidade está sendo desconstruída, está desmoronando…”. Confira o vídeo produzido pela Indi.us e descubra uma nova geração de jovens que busca mudança nos territórios rurais brasileiros.

A VI Jornada Nacional do Jovem Rural é uma iniciativa da Rede Jovem Rural, com produção da Baluarte Cultura e patrocínio do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e da Souza Cruz.

Veja também:

A Melhor Jornada de Todas – Parte 4
A Melhor Jornada de Todas – Parte 3
A Melhor Jornada de Todas – Parte 2
A Melhor Jornada de Todas – Parte 1

A Melhor Jornada de Todas – Parte 4

22 de dezembro de 2015 | Publicado em Jornada Nacional do Jovem Rural

No quarto vídeo da série A Melhor Jornada de Todas, produzido pela Indi.us, apresentamos a história Marisa Faleiro, de Orizona (GO). Neste emocionante depoimento, Marisa nos conta sobre os desafios de quem vive no meio rural e destaca a importância da Educação do Campo em sua formação pessoal e profissional. Confira!

A VI Jornada Nacional do Jovem Rural teve produção da Baluarte Cultura e patrocínio do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e da Souza Cruz.

Veja também:

A Melhor Jornada de Todas – Parte 3
A Melhor Jornada de Todas – Parte 2
A Melhor Jornada de Todas – Parte 1

A Melhor Jornada de Todas – Parte 3

17 de dezembro de 2015 | Publicado em Jornada Nacional do Jovem Rural

A Melhor Jornada de Todas continua! Já está no ar o terceiro filme da série, que retrata a realidade e os sonhos da juventude do campo tendo como cenário a VI Jornada Nacional do Jovem Rural. O encontro reuniu 300 jovens rurais das cinco regiões do país em outubro, em Nova Friburgo (RJ).

Neste vídeo, produzido pela agência Indi.us, o destaque é a história do jovem Pedro Paula, nascido e criado nos Três Picos, zona rural de Nova Friburgo. Pedro mantém com a família uma pousada na região e, através dela, contribui para a valorização da cultura e dos produtos locais.

A VI Jornada teve produção da Baluarte Cultura e patrocínio do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e da Souza Cruz.

Veja também:

A Melhor Jornada de Todas – Parte 2
A Melhor Jornada de Todas – Parte 1

A Melhor Jornada de Todas – Parte 2

15 de dezembro de 2015 | Publicado em Jornada Nacional do Jovem Rural

Taí, pessoal! Com vocês, o segundo episódio da série “A Melhor Jornada de Todas”! Neste segundo vídeo, o protagonista é o jovem paranaense Rafael Guimarães, da Arcafar/Sul, que conta sua história de vida, com os prazeres e os desafios de viver na zona rural.

A VI Jornada Nacional do Jovem Rural é uma iniciativa da Rede Jovem Rural, com produção da Baluarte Cultura e patrocínio do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e da Souza Cruz.

Produção: Indi.us
Roteiro e Direção: André De Franco
Fotografia: João Paulo Casalino
Som Direto: Gustavo Ruggeri

Veja também:

A Melhor Jornada de Todas – Parte 1

A Melhor Jornada de Todas – Parte 1

10 de dezembro de 2015 | Publicado em Jornada Nacional do Jovem Rural

É com orgulho que dividimos com vocês está série de vídeos que transmitem um pouco da atmosfera e dos momentos incríveis vividos na VI Jornada Nacional do Jovem Rural. Neste primeiro capítulo, nós passamos a palavra ao baiano Givaldo Souza, representante do Movimento de Organização Comunitária (MOC) e testemunha ocular da criação da Rede Jovem Rural.

A VI Jornada Nacional do Jovem Rural é uma iniciativa da Rede Jovem Rural, com produção da Baluarte Cultura e patrocínio do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e da Souza Cruz.

Produção: Indi.us
Roteiro e Direção: André De Franco
Fotografia: João Paulo Casalino
Som Direto: Gustavo Ruggeri

Aguardem!!!

9 de dezembro de 2015 | Publicado em Jornada Nacional do Jovem Rural

teaser_nordeste

Aguardem!!! Amanhã, às 11h, aqui na nossa página… #amelhorjornadadetodas

VI Jornada: Vídeos projetados no Cine Odeon

5 de novembro de 2015 | Publicado em Jornada Nacional do Jovem Rural

Na cerimônia de abertura da VI Jornada, realizada no dia 19 de outubro no Cine Odeon, nós aproveitamos aquele telão incrível do cinema para projetar dois vídeos que compartilhamos agora com vocês:

“A melhor Jornada”

4 de novembro de 2015 | Publicado em Jornada Nacional do Jovem Rural

clecio santana

Por Clécio Santana*

A VI Jornada Nacional do Jovem Rural é um espaço diferente de muitos que discutem assuntos pertinentes à juventude brasileira. Primeiro por ser produzida na perspectiva de atender aos jovens do campo, uma classe que sempre foi vista (ou não vista), como inferior e sem nada a oferecer. Os próprios jovens rurais, já haviam internalizado essa má ideia e assim acabaram se retraindo e fortalecendo esse discurso. Há muito já se ouvia falar em movimento juvenil no Brasil. Porém, quem eram esses jovens? Jovens urbanos, estudantes de colégios, faculdades… Os jovem rurais contentavam-se apenas com sua simples escola de uma única sala multisseriada e eram felizes sem ter que organizar-se em protestos em favor dos seus direitos; faltava água boa, faltava merenda, faltava livros, não tinham merendeira, servente, auxiliar de ensino, nada disso. Mas éramos felizes.

A minha inserção no movimento de juventude rural começou na Associação Comunitária e foi me levando para mais além: do Sindicato Rural ao Coletivo Regional de Juventude e Participação Social abrigando o Coletivo Municipal de Jovens. Isso tudo para dizer que foi assim que compreendi a importância que tem o jovem rural é a perder de vista. Jamais podemos nos contentar com o pouco que nos é oferecido porque nós, jovens rurais, temos muito a dar. Quem passa pelo movimento social se torna outra pessoa. Um jovem que abraça as oportunidades de crescimento, torna-se rico; adquire uma formação que brota de dentro e transcende como um farol.

O jovem politizado, consciente dos seus direitos e seus deveres, torna-se uma ameaça à burguesia e aos governos elitistas acostumados à sua boemia restrita a si. Assim, compreendo que os espaços da Jornada e do Intercâmbio da Juventude Rural são como uma máquina de produção de ideias e compartilhamento de conhecimentos. Os painéis, oficinas, visitas e espaços paralelos são uma engrenagem contínua de produção.

pedro paula

Nem só no palco principal, em se tratando da Jornada ou nos destinos finais, em se tratando do Intercâmbio é que se discute sobre jovens rurais. Eu noto que nos corredores, nos aeroportos, no trânsito, nos quartos da hospedagem, e em outros cantos, os jovens estão falando deles mesmos, das suas vivências, suas opiniões. Eu gosto muito de observar quando há jovens discutindo, debatendo e até travando embates sobre assuntos que envolvem a juventude e que geram opiniões divergentes; isso é muito importante.

O tema dessa Jornada em 2015, foi um tema que eu considero de grande relevância para os jovens rurais. A cultura é o tecido de um povo. É uma pena que ainda não tenhamos alcançado a verdadeira importância que tem a cultura para um povo. Ter debatido a cultura no campo, ter apreciado apresentações culturais diferentes e ter participado desse espaço é uma riqueza sem tamanho. Até nas mesas de refeição via-se jovens fortalecendo o debate em torno do tema, cultura, ruralidade, produção, dentre outros.

pomeranos

Jovens voltando das visitas, entusiasmados com o que viram, encantados com a região e dividindo a alegria com os outros. Houve uma fala que se concretizou facilmente entre os jovens presentes: essa foi a melhor jornada. Ter Gil, mediando o primeiro painel, um jovem referência de participação e compromisso com a responsabilidade de multiplicador, ter um segundo painel falando de cultura e arte no campo sobre o trabalho desenvolvido por jovens e ter sido um desses jovens, me orgulha. Não somente por ter feito parte diretamente, mas por ver que o trabalho realizado vai além do que se imagina. É reconhecer que somos aquilo que queremos ser. É reconhecer que o trabalho de formiguinha faz muita diferença.

Outro ponto importante foi a feira de produtos. Isso nos mostra que os jovens produzem e sabem muito sobre o que fazem. A diversidade estava presente, a alegria marcou, tudo numa sintonia perfeita para que a Jornada se tornasse o que foi. Reunir num mesmo espaço gente de todos os cantos, misturando seu sotaque, dividindo seus costumes e abraçando uns aos outros, isso é grandioso. É de não parar nunca de falar sobre. O mais importante é que saber que voltando para suas casas, para suas famílias e suas escolas, esses jovens levam uma grande bagagem e não deixam o debate morrer. Pelo contrário, uma vez tendo despertado para tal, vai crescendo como uma planta; floresce e frutifica fazendo jus às suas origens rurais.

feira de produtos regionais

Vale muito ressaltar a importância da Rede Jovem Rural, do Instituto Souza Cruz, das instituições participantes, da Baluarte e demais envolvidos. Deu trabalho, houveram desafios, mas tudo isso foi superado, com certeza. A equipe que produziu a Jornada desde cedo, sabe o que é fazer um evento para a diversidade e isso foi pensado com muito carinho. Deu certo.

Por fim, eu não tenho palavras e tudo o que disser não será suficiente para externar a alegria de estar no meio dos mais de 300 jovens que fizeram dessa a melhor jornada. Valeu. Obrigado!

* Clécio Santana é um líder jovem que desenvolve, através da arte e cultura, ações que perpassam pela valorização da identidade, ao mesmo tempo em que se reconhece enquanto jovem, rural, baiano, nordestino e brasileiro. Além disso, identifica o contexto e valoriza-se a partir das suas singularidades, militando em segmentos juvenis e culturais por um projeto de sociedade mais justa. A partir do teatro, Clécio manifesta seu pensamento, suas ideias e bandeiras de lutas. Articula, ainda, sua ação cultural de forma empreendedora, enquanto projeto de vida e economia criativa.

+ Imagens: Carlos Mafort.

Empreendedorismo e Internet

4 de novembro de 2015 | Publicado em Jornada Nacional do Jovem Rural

Aos que participaram e também àqueles que ficaram de fora, segue a apresentação da oficina sobre “Empreendedorismo e Interner”, ministrada por Guilherme Mattoso, assessor de comunicação do Instituto Souza Cruz!

O Brasil rural inteiro em Nova Friburgo!

29 de outubro de 2015 | Publicado em Jornada Nacional do Jovem Rural

22162425839_8f223997c0_z

Foi demais, não é mesmo? Na semana passada, a Rede Jovem Rural reuniu em Nova Friburgo 300 jovens de todas as regiões do país para discutir o tema “Cultura e Cidadania nos Territórios Rurais”. Entre os dias 19 e 22, estivemos juntos em muitos momentos que serão inesquecíveis, como os painéis, visitas técnicas, oficinas, feira de produtos regionais e apresentações culturais.

A cerimônia de abertura foi realizada no Cine Odeon, no Centro do Rio, e contou com a presença do Padre Firmino Martins, coordenador do Mepes; Alan Bojanic, representante no Brasil da FAO; Allan Grabarz, gerente do Instituto Souza Cruz; José Octavio Fernandes, delegado federal do MDA; e Alexandre Pimentel, superintendente da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro.

21732498834_746995cea3_z

Depois da recepção, os participantes seguiram para Nova Friburgo e, no dia 20, a programação seguiu com o painel O rural Como Espaço de Comunicação e Cultura, com a participação Raissa Galvão, da Secretaria de Cidadania e Diversidade do Ministério da Cultura, e Marjorie Botelho, do Ponto de Cultura Rural Sobrado Cultural.

No mesmo dia, os jovens participaram ainda de minicursos e oficinas em temas como Empreendedorismo e Internet, Cultura do Gosto e Comunicação Comunitária, entre outros. Ao fim do dia, a Feira de Produtos Regionais proporcionou um espaço de intercâmbio de cultura através da venda e troca de produtos como artesanato, comidas típicas, literatura e muita música.

22166464900_c26edd2b22_z

No dia 21, os participantes dividiram-se em grupos e conheceram alguns empreendimentos da região, como a Queijaria Escola Suíça, o trutário e restaurante Truta Arco-Íris, e o artesanato em cerâmica do Empório do Dengo. O segundo painel de debate trouxe a experiência na área de cultura dos jovens Ivan Campos (Instituto Formação), Clécio Santana (MOC) e Pedro Paula (Ibelga). A programação do dia terminou com um animado show de confraternização, que foi do forró ao rock.

Em paralelo à programação, as apresentações culturais coloriram o palco da jornada com uma amostra rica da cultura regional brasileira. Os destaques ficaram por conta da dança Maranhados (Instituto Formação), do Cortejo Cultural (Amefa) e do Maracatu (Serta).

22335592482_0eeb4f2fe2_z

A VI Jornada Nacional do Jovem Rural tem produção da Baluarte Cultura e patrocínio do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura, da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e da Souza Cruz. Todo o material utilizado na cenografia do evento foi sustentável, como tintas orgânicas, madeiras de demolição e tecidos reaproveitados. A Baluarte e outras empresas fornecedoras estão ligadas ao Sistema B, cuja filosofia é gerar prosperidade durável e compartilhada.