Intercâmbio retorna com sotaque fluminense

15 de setembro de 2016 | Publicado em Sem categoria

ceffa flores

O Rio de Janeiro é um dos estados participantes do VI Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira. Entre os dias 24 de setembro e 01 de outubro, um grupo de onze jovens rurais de diferentes localidades do país conhecerá a realidade rural da região serrana fluminense. Eles serão recebidos pelo Instituto Bélgica-Nova Friburgo (Ibelga), referência estadual em Educação do Campo. Os visitantes desembarcam no Rio de Janeiro e, logo depois, seguem para os distritos de Santa Cruz, Baixada de Salinas e São Lourenço, na zona rural de Nova Friburgo.

No período de uma semana, os intercambistas participarão de atividades culturais, visitas técnicas para o aprendizado de inovações agrícolas e passeios turísticos, entre outras ações. A região serrana fluminense é o principal polo produtor de legumes e verduras do estado e abriga ainda o Parque dos Três Picos. Os participantes também pernoitarão nas casas de agricultores familiares, tendo um contato mais próximo com o dia a dia da região. No retorno para seus estados de origem, poderão adaptar esses conhecimentos às suas realidades.

O VI Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira está proporcionando a 50 jovens do campo a oportunidade de conhecer diferentes realidades rurais. Seis estados e seis organizações não-governamentais que investem em projetos de Educação do Campo apoiam a ação. A iniciativa, dividida em cinco etapas, segue até novembro. Os estados participantes são: Pernambuco, Bahia, Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

O intercâmbio é coordenado pelo Instituto Souza Cruz, que, junto com outras cinco organizações, integra a Rede Jovem Rural, um projeto coletivo formado por seis instituições que promovem ações de cooperação e defesa conjunta da causa do jovem rural. São elas: Associação das Casas Familiares Rurais do Sul do Brasil (ARCAFAR-SUL); Centro de Desenvolvimento do Jovem Rural (CEDEJOR); Instituto Souza Cruz; Movimento de Educação Promocional do Estado do Espírito Santo (MEPES); Movimento de Organização Comunitária (MOC); e Serviço de Tecnologia Alternativa (SERTA). Além destas, o Instituto Bélgica Nova Friburgo (Ibelga/RJ), que oferece ensino formal a jovens rurais da serra fluminense, foi convidado para integrar a iniciativa.

O Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira foi reconhecido em 2015 como um estudo de caso pela Comissão Europeia Opens new window, que capitaneou uma pesquisa internacional sobre os regimes de intercâmbio direcionado a jovens rurais no mundo.

+ Acompanhe todas as novidades do Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira na fanpage da Rede Jovem Rural!

Intercâmbio na mídia

29 de julho de 2016 | Publicado em Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira

interc

Confira as notícias sobre a segunda etapa do VI Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira, realizada em Pernambuco, em parceria com o Serta.

Dinheiro Rural
De olho em Gravatá
Canal da Cana
Portal Belo Jardim em foco

+ Imagem: Marcos Gaspar

Próxima parada: Pernambuco!

13 de julho de 2016 | Publicado em Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira

inter2

Pernambuco é um dos estados participantes do VI Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira! Entre os dias 23 e 30 de julho, um grupo de onze jovens rurais de diferentes localidades do país conhecerá a realidade rural zona da mata pernambucana. A iniciativa é uma ação da Rede Jovem Rural, coordenada pelo Instituto Souza Cruz.

Os jovens serão recebidos pelo Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta), referência nacional em Agroecologia e Educação do Campo. Os visitantes desembarcarão em Recife e, logo depois, seguirão para a sede da organização, no município de Glória do Goitá.

No período de uma semana, os intercambistas participarão de atividades culturais, visitas técnicas e passeios turísticos, entre outras ações. O Serta desenvolve diversas ações, como a propriedade modelo chamada Unidade Pedagógica Permacultural de Observação (Uppo).

Os participantes também pernoitarão nas casas de agricultores familiares, tendo um contato mais próximo com o dia a dia da região. No retorno para seus estados de origem, poderão adaptar esses conhecimentos às suas realidades.

O Intercâmbio a 55 jovens do campo a oportunidade de conhecer diferentes realidades rurais. Seis estados e seis organizações não-governamentais que investem em projetos de Educação do Campo apoiam a ação. A iniciativa, dividida em cinco etapas, segue até novembro. Os estados participantes são: Pernambuco, Bahia, Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Além do Instituto Souza Cruz, a Rede Jovem Rural é formada pela ARCAFAR/SUL, CEDEJOR, MEPES, MOC e SERTA. Além destas, o Ibelga, que oferece ensino formal a jovens rurais da serra fluminense, foi convidado para integrar a iniciativa.

+ Imagem: Andrea Guedes.

Intercâmbio na mídia

12 de julho de 2016 | Publicado em Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira

inter

Ficou de fora das notícias sobre VI Intercâmbio, no Espírito Santo?! Confira aqui as matérias sobre a primeira etapa:

29 de junho

Paranashop
ES Hoje

30 de junho

Vitória News
Canal da Cana
Plurale

04 de julho

Correio Capixaba
Bom Dia ES (TV Globo)
ESTV 2ª edição (TV Globo)
G1 Espírito Santo
100KM

Espírito Santo recebe a primeira etapa do Intercâmbio

22 de junho de 2016 | Publicado em Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira
foto

Jovens conhecem estufa de orgânicos em Santa Maria de Jetiba, na quarta edição, em 2012

 

O Espírito Santo é um dos estados participantes do VI Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira. Entre os dias 02 e 09 de julho, um grupo de 10 jovens rurais de diferentes localidades do país conhecerá a realidade rural capixaba. Eles serão recebidos pelo Mepes, referência em educação do campo no Brasil. Os visitantes serão recebidos em Vitória e, logo depois, seguirão para as Escolas Famílias Agrícolas nos municípios de Castelo, Mimoso do Sul, São João do Garrafão, Alfredo Chaves, Cachoeiro de Itapemirim, Olivânia e Marilândia.

No período de uma semana, os intercambistas participarão de atividades culturais, visitas técnicas a agroindústrias e propriedades rurais para o aprendizado de novas técnicas agrícolas e passeios turísticos, entre outras ações. Os participantes também pernoitarão nas casas de agricultores familiares capixabas, tendo um contato mais próximo com o dia a dia da região. No retorno para seus estados de origem, poderão adaptar esses conhecimentos às suas realidades.

foto (7)

O interior de Alfredo Chaves é um dos cenários do Intercâmbio

 

O VI Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira está proporcionando a 50 jovens do campo a oportunidade de conhecer diferentes realidades rurais. Seis estados e seis organizações não-governamentais que investem em projetos de educação do campo apoiam a ação. A iniciativa, dividida em cinco etapas, segue até novembro. Os estados participantes são: Pernambuco, Bahia, Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

O intercâmbio é coordenado pelo Instituto Souza Cruz, que, junto com outras cinco organizações, integra a Rede Jovem Rural. Além destas, o Instituto Bélgica Nova Friburgo (Ibelga/RJ), que oferece ensino formal a jovens rurais da serra fluminense, foi convidado para integrar a iniciativa. Em 2015, o Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira foi reconhecido como um estudo de caso pela Comissão Europeia, que capitaneou uma pesquisa internacional sobre os regimes de intercâmbio direcionado a jovens rurais no mundo.

foto (4)

Jovens conhecem experiência de floricultura durante a quarta edição, em 2012

 

Vai começar o VI Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira!

16 de junho de 2016 | Publicado em Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira

6inter_blog

No dia 2 de julho, terá início a sexta edição do Intercâmbio da Juventude Rural Brasileira! A iniciativa proporcionará a 55 jovens do campo a oportunidade de conhecer diferentes realidades rurais do país. Seis estados e seis organizações não governamentais, que investem em projetos de Educação do Campo, estão envolvidos na ação.

O intercâmbio será dividido em cinco etapas, e segue até 26 de novembro. Nesse período, os participantes terão uma vivência de sete dias em outro meio rural, onde trocarão experiências, aprenderão novas técnicas agrícolas, conhecerão tecnologias alternativas, farão visitas a propriedades de agricultores familiares, entre outras atividades. No retorno para seus estados de origem, poderão adaptar os novos conhecimentos à sua realidade.

O VI Intercâmbio da Juventude Rural é coordenado pelo Instituto Souza Cruz, que, junto com outras cinco organizações, integra a Rede Jovem Rural. Vale lembrar que em 2015, ele foi reconhecido como um estudo de caso pela Comissão Europeia, que capitaneou uma pesquisa internacional sobre os regimes de intercâmbio direcionado a jovens rurais no mundo.

Em cada mês, será realizada uma etapa em um estado diferente, conforme o calendário abaixo:

Etapa 1

Data: 2 a 9 de julho
Instituição receptora: Mepes
Estado: Espírito Santo

Etapa 2

Data: 23 a 30 de julho
Instituição receptora: Serta
Estado: Pernambuco

Etapa 3

Data: 10 a 17 de setembro
Instituição receptora: Ibelga
Estado: Rio de Janeiro

Etapa 4

Data: 15 a 22 de outubro
Instituição receptora: MOC
Estado: Bahia

Etapa 5

Data: 19 a 26 de novembro
Instituição receptora: Arcafar/Sul
Estados: Paraná e Santa Catarina

Identidades Rurais aporta no MAR

23 de maio de 2016 | Publicado em Ligado na Rede

id_rurais_blog

Imagine cinco jovens fotógrafos da cidade grande, descobrindo e vivenciando o meio rural… O resultado dessa jornada está no livro Identidades Rurais, realizado com patrocínio da Souza Cruz, por meio da Lei Rouanet, pelo Instituto Souza Cruz e Ímã Produções e Promoções Artísticas. A publicação será lançada no dia 2 de junho, no Museu de Arte do Rio (MAR), com uma exposição de fotos.

+ A Rede Jovem Rural criou um álbum com algumas fotos do projeto. Confira!

Na busca dos elementos que compõem hoje o campo brasileiro, os profissionais AF Rodrigues, Fábio Teixeira, Fernanda Dias, Ratão Diniz e Valda Nogueira lançaram suas lentes para as comunidades do interior de nove estados, onde atuam as organizações que formam a Rede Jovem Rural, além de outras instituições que participam das nossas ações. Com o objetivo de registrar as paisagens, as pessoas e a rica cultura regional do país, cada um visitou duas localidades, permanecendo uma semana em cada uma delas. As imagens captadas revelam um meio rural que, muitas vezes, é invisível aos olhos de quem vive na cidade. A curadoria do livro ficou sob a coordenação do fotógrafo e cientista social Gustavo Stephan.

Refletindo a causa abraçada pelo Instituto Souza Cruz, o livro celebra os 15 anos da organização, que, ao longo de sua trajetória, vem investindo na agricultura familiar brasileira através da formação de jovens empreendedores rurais. Suas ações já beneficiaram cerca de 2,3 milhões de pessoas, contribuindo para o fortalecimento de produtores em todos os estados do país. Além disso, o Instituto já obteve o reconhecimento de importantes organismos internacionais, como a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU) e a Comissão Europeia.

. . .

SERVIÇO
Lançamento do livro Identidades Rurais
Data: 02 de junho
Horário: das 10h às 17h
Local: Museu de Arte do Rio (MAR) – Praça Mauá, 5 – Centro, Rio de Janeiro –RJ

Animação ensina agroecologia e alimentação de um jeito divertido

29 de abril de 2016 | Publicado em Ligado na Rede

A animação Comida que Alimenta é uma realização do Centro Sabiá, vinculado ao projeto “Trabalho, Renda e Sustentabilidade no Campo”, e busca fortalecer as experiências de agricultura agroflorestal de base agroecológica na Zona da Mata Sul de Pernambuco.

sabia

A vídeo traz, de maneira lúdica e criativa, um forte componente de agregação de valor à produção da agricultura familiar desse território, com a instalação de Unidades de Beneficiamento de frutas e de mel, para atender principalmente as compras do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), e o mercado turístico da região, fortalecendo também a estratégia de comercialização direta entre produtores e consumidores através de feiras agroecológicas.

. . .

Roteiro: Centro Sabiá
Direção e Animação 2D: Ianah Maia
Direção de Arte: Ianah Maia e Débora Cabral
Trilha Sonora: Filipe Barros e Rogério Samico
Desenho de Som e Mixagem: Rogério Samico
Vozes: Ianah Maia e Rogério Samico.

Junta Local: uma feira de pequenos empreendedores culinários

15 de abril de 2016 | Publicado em Ligado na Rede

junta local

Há pouco mais um ano, uma feira diferente vem ocupando diferentes espaços da cidade do Rio de Janeiro, colocando consumidores em contato direto com pequenos empreendedores. Esse é o objetivo da Junta Local: encurtar as distâncias entre quem come e quem produz.

Idealizada por Thiago Nasser, Henrique Moraes e Bruno Negrão, o projeto surgiu a partir das ideias e discussões do trio sobre alimentação de qualidade, criação de canais de comercialização e viabilização de pequenos empreendedores a novos mercados. A ideia da Junta é fomentar um espaço de socialização e reflexão sobre os nossas escolhas na hora de comer, com ênfase na formação de uma rede de produtores e consumidores engajada na valorização da comida local e justa.

junta local

Quem conhece a feira não sai de lá indiferente. A variedade de produtos seduz qualquer um. São geleias, hortifruti, embutidos, massas… tudo produzido por empreendedores locais ou, no máximo, vindos de Minas ou São Paulo. E o melhor: tem muita coisa diferente, que dificilmente se vê nas gôndolas dos supermercados, como pães de fermentação natural, hummus de feijão, kombuchás, queijos de leite cru, hambúrgueres vegetariano…

junta

A Junta Local, que começou pequenina no democrático espaço da Comuna, hoje segue um calendário regular ocupando diferentes espaços da cidade, como a Casa da Glória, Antiga Fábrica Behring, Imperator e o pátio do MAM. Além das feiras, também é possível comprar os alimentos através do site, na Sacola Virtual, com retirada marcada sempre aos sábados, em espaços como a já citadaComuna

Visite o site da Junta Local, conheça os produtores e saiba quando acontecerá as próximas feiras.

+ Fotos: Samuel Antonini – Facebook da Junta Local.

Cartilha ensina como fazer reformas e planejar casa de forma sustentável

8 de abril de 2016 | Publicado em Ligado na Rede

construao-525

O Conselho Internacional da Construção (CIB) aponta que o setor de construção é o que mais consome recursos naturais. Para minimizar os impactos ambientais surge então o conceito de construção sustentável, onde se busca técnicas que garantem maior eficiência e responsabilidade do início ao fim da obra.

“Construções e Reformas Particulares Sustentáveis” é uma publicação que faz parte da série Cadernos de Consumo Sustentável e foi lançado pelo Ministério do Meio Ambiente. O objetivo é orientar os consumidores sobre como fazer moradias e reformas sustentáveis.

+ Faça o download aqui.

Com apenas nove páginas, a cartilha mostra um mapa com cada cômodo da casa e aponta quais são as opções para a execução da obra dentro dos conceitos de sustentabilidade. A utilização de materiais de construção deve seguir o que for melhor para a saúde e o meio ambiente. No caso do uso de tintas, por exemplo, é preferível aquelas à base de água, pois evitam bactérias, fungos e algas em regiões úmidas. No uso de madeira, a dica é priorizar as certificadas, que garante que o produto não vem de área desmatada ilegalmente.

Além disso, a publicação frisa a utilização da iluminação e da ventilação naturais, o que diminui o consumo de energia elétrica. Para isso, na hora de construir, o morador precisa levar em conta o clima do lugar e a localização do terreno.

Nas áreas externas, a dica é utilizar reciclados da construção e pavimentação permeável. Segundo a cartilha, prefira o piso externo intertravado, feito de material prensado e que possui vida útil longa e baixo custo de manutenção.